JOVEM SÍRIA REFUGIADA QUER IR AOS JOGOS OLÍMPICOS

Aos 17 anos, Yusra Mardini é uma refugiada síria que agora vive em Berlim e volta fazer o que mais gosta: nadar. Atleta desde muito nova, a natação sempre foi a sua paixão e não é a condição de refugiada que a faz cruzar os braços, bem pelo contrário.

Atualmente, Yusra treina no Wasserfreunde Spandau, um clube que fica perto do centro de refugiados onde vive com a sua irmã Sarah, e é lá que a nadadora tenta a qualificação olímpica. Na piscina, a nadadora quer provar que na água não faz diferença se és refugiado, sírio ou alemão.

A jovem que fugiu da Síria por estar em guerra, faz parte do grupo de 43 atletas que o Comité Olímpico Internacional (COI) identificou como tendo hipóteses de se qualificar para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Estes atletas não têm país, nem hino, nem bandeira, e vão poder formar uma equipa especial e participar nos Jogos Olímpicos. Um fundo especial de 2 milhões de euros foi criado pelo Comité para financiar a preparação deste grupo de atletas.

por Sandra Simões

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *