HOLOGRAMA DE SAIAS

(en)canta no mundo da música

De vestido curto, longos cabelos azuis e uma expressiva gravata, Hatsune Miku é uma cantora 3D construída por uma comunidade de fãs virtual, que está a conquistar os palcos. Já abriu um concerto de Lady Gaga, atuou no programa de Letterman e agora vai partir em digressão pelos EUA. Pode parecer pura ficção científica, mas não é. Esta criação virtual saltou do ambiente de um computador ou tablet para o palco e, do Japão aos Estados Unidos, está a conquistar fãs no mundo da música. Fãs, que ajudam a criar as canções que, depois, Hatsune Miku, interpreta.

Mais de 100.000 músicas!

Atualmente é uma das maiores estrelas pop do Japão, mesmo não existindo. Trata-se de uma cantora virtual, gerada por computador e projetada num ecrã, e nem as notas que saem da sua boca pertencem a um cantor real: são produzidas informaticamente através do software Vocaloid, que modifica os sons a partir de um banco de vozes. Tal como explica a artista norte-americana Amy Fineshriber, que ajudou a desenhar Miku, “muitas estrelas pop têm equipas que escrevem as suas músicas, controlam os seus visuais e planeiam concertos. Têm uma personalidade artificial criada pela indústria, enquanto a Miku tem uma personalidade criada pelos seus fãs. As suas músicas não pertencem à empresa”. O resultado é uma Miku com muitos visuais que canta desde baladas românticas a canções de heavy metal. Ao todo, esta boneca canta mais de 100 mil músicas.

Digressão pelos Estados Unidos

Miku começou a ser popular no Japão mas a sua fama já vai mais longe. Em 2014 realizou o sonho de muitos artistas: abriu um concerto de Lady Gaga, no Madison Square Garden em Nova Iorque e atuou para David Letterman, entre outros. Em abril de 2016, irá em digressão pelos Estados Unidos da América.

por Sandra Simões

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *