CRIANÇAS PORTUGUESAS TOMAM DEMASIADOS CALMANTES

Um relatório de 2015, escrito pela Direção-Geral de Saúde, revela que os medicamentos psicofármacos são prescritos de forma imprudente pelos médicos, ou seja, todos os medicamentos calmantes que agem sobre o cérebro, músculos e nervos. Em Portugal, é desde os primeiros meses de vida que as crianças consomem estes medicamentos. O estudo demostra que em 2015, crianças dos 0 aos 4 anos receberam 2900 doses diárias de calmantes! Até aos 14 anos são contabilizadas 5 milhões de doses de metilfenidato, como a ritalina. Este medicamento é dado para tratar a hiperatividade e o défice de atenção – PHDA ou TDAH. O especialista Leon Eisenberg definiu, numa entrevista dada sete meses antes de sua morte, que o TDAH foi o primeiro exemplo de uma “doença fabricada”, pois em vez de prescrever uma “pílula”, os psiquiatras devem determinar quais são as razões que conduzem a problemas de comportamento. A única coisa que se pode afirmar com certeza é que a ritalina faz parte da família dos anestésicos, como a cocaína e a morfina, substâncias que criam dependência e que agem sobre a parte da motricidade do nosso cérebro. As contraindicações são numerosas, como a falta de apetite, insónias, medo, pânico, etc.

por LPL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *