A PALAVRA DE TRÊS CRIANÇAS ATÉ HOJE

Em Portugal, a data de 13 de maio é sinónimo de celebração religiosa católica, onde milhares de pessoas viajam até Fátima, lugar onde a figura da virgem Maria, chamada nossa Senhora de Fátima, é venerada.

O Santuário é um local distinto pela sua grandiosidade, visitado por milhares de peregrinos todos os anos, vindos de vários pontos do mundo. Peregrinar é um ritual comum à maioria das religiões e consiste numa jornada espiritual a um lugar considerado sagrado. Estes peregrinos que se deslocam a pé até Fátima são movidos pela fé, isto é, um sentimento de crença e confiança em algo ou alguém.

 

PORQUE HÁ TANTA GENTE DE AMARELO NA ESTRADA?
Neste mês, é bastante comum ver nas bermas das estradas portuguesas pessoas munidas de coletes refletores: são os peregrinos. Todos os anos, as autoridades policiais empenham-se em criar caminhos alternativos para a sua segurança. No entanto, milhares de pessoas continuam a fazer o percurso por estradas nacionais durante a noite, o que por si só já representa um risco. Todos os anos ocorrem acidentes, até mesmo entre viaturas que, ao se desviarem dos peregrinos, acabam por chocar com outros automobilistas.

A operação “Peregrinação Segura”, promovida pela Guarda Nacional Republicana, tem o objetivo de garantir a segurança dos peregrinos durante as deslocações e celebrações religiosas, nas principais vias de acesso a Fátima. Os peregrinos são aconselhados a utilizar coletes refletores, tanto de dia, como de noite, e a andarem em fila indiana, sempre na direção contrária ao sentido do trânsito. Este ano celebra-se o 99º aniversário das aparições de Fátima.

 

13 DE MAIO: UMA DATA COM HISTÓRIAS

O Santuário de Fátima, situado na Cova da Iria, era até 1917 um lugar desconhecido na freguesia de Fátima. Nesse ano, a 13 de maio, um acontecimento mudou para sempre a sua história: três crianças pastoras – Jacinta, Francisco e Lúcia -, declararam ter visto uma aparição da Nossa Senhora do Rosário. Jacinta e Francisco morrem um ano depois, mas Lúcia viveu até aos 97 anos, para transmitir as mensagens das aparições. Muito acarinhado pelo povo português, o fenómeno foi reconhecido em 1930 pelo bispo de Leiria, o que levou a que Fátima fosse elevada a vila em 1977 e a cidade em 1997. Mais tarde, em 1982, o papa João Paulo II deslocou-se a Fátima em jeito de agradecimento por ter sobrevivido a um atentado no mesmo dia, valorizando desta forma as cartas da irmã Lúcia. O Santuário de Fátima é um dos lugares sagrados do catolicismo, mas não é considerado cidade santa como é o caso de Santiago de Compostela (Espanha), o Vaticano e Jerusalém (Israel).

por Manuel Santos e LPL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *