A CPLP QUER FACILIDADE DE CIRCULAÇÃO PARA OS SEUS CIDADÃOS

Na semana passada, aconteceu em Brasília (capital do Brasil), a XI Cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Este encontro reuniu os presidentes e primeiros-ministros da CPLP, cujos estados-membros são: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Deste encontro surgiu uma declaração que desenha as linhas de uma cidadania da CPLP e a necessidade de melhorar a mobilidade dos cidadãos entre os estados-membros. Nesse sentido, os governantes de São Tomé e Príncipe decidiram dispensar o visto de todos os cidadãos dos Estados-membros para estadas até 15 dias no país. O visto é um documento que se paga nas fronteiras de alguns países, para entrar e ficar durante um tempo limitado, parecido a um selo colocado no passaporte. Portugal pediu que se considere um novo modelo de autorização de residência, baseado nos títulos académicos ou na qualificação profissional dos cidadãos.

ABOLIÇÃO DA PENA DE MORTE OBRIGATÓRIA PARA OS ESTADOS MEMBROS
A Guiné Equatorial (país africano) deverá abolir a pena de morte de forma imediata se quiser manter-se nesta comunidade. É uma condição não discutível para Portugal, além da necessidade da Guiné Equatorial também ratificar os estatutos da organização e generalizar o ensino da Língua Portuguesa em todo o país. Na declaração final, e para felicidade de todos os responsáveis presentes, a Guiné Equatorial pediu o apoio técnico para abolir a pena de morte.


PROPOSTA DA LÍNGUA PORTUGUESA COMO LÍNGUA OFICIAL NAS NAÇÕES UNIDAS (ONU)
Na cimeira foi aprovada por unanimidade uma proposta para que o português seja uma língua oficial nas Nações Unidas (ONU). Esta proposta foi aprovada por aclamação dos presentes e foi feita pelo atual Presidente do Brasil, Michel Temer. Porém, não ficou escrita na declaração final do evento. O secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, já tinha afirmado que gostaria de ver o português como língua oficial do organismo. A ONU comunica atualmente com seis línguas, ou seja, os textos são escritos nessas línguas e os representantes de cada país podem escolher uma delas para se expressarem. São o espanhol, inglês, chinês, russo, francês e árabe.
toda a informação em http://www.cplp.org/


por LPL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *